Caixa lança nova linha de crédito, corrigido pela inflação, e mercado prevê valorização dos imóveis

A Caixa anunciou uma nova linha de crédito imobiliário, com juros entre 2,95% e 4,95% ao ano e atualização pela inflação, que será medida pelo IPCA (Índice de Preços ao Consumidor Amplo). 

O novo modelo estará disponível a partir de 26 de agosto, somente para novos contratos, e poderá ser usado para financiar até 80% do valor de imóveis novos e usados, com prazo de até 360 meses e valor da prestação corrigido mensalmente. Segundo o banco, serão disponibilizados R$ 10 bilhões para a nova linha de crédito. 

O anúncio deve movimentar o mercado, segundo especialistas em crédito habitacional, que já preveem aumento no valor dos imóveis novos. 

A taxa mais baixa será aplicada apenas para servidores públicos. Trabalhadores do setor privado terão juros a partir de 3,25% para a nova modalidade. Com expectativa de inflação na casa de 3,7% no fim do ano, o crédito imobiliário teria um custo de cerca de 6,7%, com perspectiva de aumento para 6,9% em 2020.

A linha anunciada valerá para imóveis residenciais enquadrados no Sistema Financeiro da Habitação (SFH) e no Sistema Financeiro Imobiliário (SFI). A adesão à nova modalidade será facultativa e o consumidor que optar pela modalidade de correção pelo IPCA não poderá, posteriormente, alterar o contrato para ter a correção pela TR (Taxa Referencial).

Como é

Atualmente, os contratos são corrigidos pela TR. A Caixa cobra juros entre 8,5% e 9,75% ao ano, mais TR, nas suas principais linhas de crédito imobiliário, para compra de imóveis novos ou usados. Essas taxas não são válidas para o programa “Minha Casa, Minha Vida”, que cobra juros mais baixos. Como a TR é igual a zero desde 2017, devido à queda da taxa Selic, os juros do financiamento imobiliário ficam limitados à taxa prefixada.

Durante o anúncio da nova linha de crédito, o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, citou como exemplo que uma parcela de um imóvel de R$ 300 mil, que hoje seria superior a R$ 3.000, cairia com a nova modalidade, com parcela inicial de cerca de R$ 2.000, sendo reajustada a cada mês. 

A nova linha de crédito, contudo, não significa necessariamente economia, já que está ligada à inflação. Em um comparativo dos índices da TR e inflação de 2004 a 2019 feito pela “Folha de S.Paulo”, o novo modelo traria um gasto 4% maior que o atual na aquisição de um imóvel de R$ 500 mil, por exemplo.

Mercado aquecido

A iniciativa da Caixa deve estimular a concorrência entre os bancos, empresas de crédito e fintechs, com uma oferta maior de opções para o consumidor. Com aumento da demanda, é possível que os valores dos imóveis subam.

Se você está pensando em financiar um imóvel, portanto, pode ser um momento interessante para avaliar as melhores condições de financiamento. 

Com o novo modelo, a Caixa planeja criar um mercado de títulos e contratos de créditos que serão emitidos e vendidos no mercado (numa estrutura parecida com títulos da dívida pública Tesouro IPCA+). Assim, com mais dinheiro e sem a necessidade de carregar a dívida, o banco poderá emprestar mais – o que vai ao encontro da avaliação de que os imóveis vão valorizar.

Floradas Arboville

O Floradas Arboville, lançamento da Terra Simão em Jacareí, é um condomínio-clube com quatro torres e mais de 30 áreas de lazer

Deixe sua opinião

Artigos relacionados